Muitos mitos, algumas verdades

1. Se uma mulher na família teve a doença, todas terão?
As chances são maiores, por isso o cuidado deve ser redobrado. Especialmente se for irmã ou mãe e a doença tiver aparecido antes dos 50 anos. Mas não quer dizer que basta isso para se ter câncer de mama.
2. Mulheres jovens podem ter câncer de mama?
Sim. É mais frequente com mulheres acima de 40 anos, mas também pode aparecer nas mais jovens. As mulheres entre 50 e 60 anos são as mais atingidas.
3. Eu posso sobreviver ao câncer? Quais são minhas chances?
Sim, mas fica mais difícil quanto mais demora o diagnóstico e o início do tratamento. O câncer de mama tem 95% de chance de cura se descoberto no início.
4. A mamografia causa câncer?
Não, a mamografia é um exame de diagnóstico para detectar se há presença de algum nódulo nas mamas. Como esse exame tem sido mais acessível, aumentaram os casos que são diagnosticados é que podem ser tratados. No entanto, é bom lembrar que existe uma periodicidade segura para a exposição à radiação - consulte o seu médico.
5. A mamografia dói?
Pode causar algum incômodo em mulheres com maior sensibilidade, mas é totalmente suportável. O melhor é sempre fazer o exame uma semana depois da menstruação.
6. Eu posso fazer alguma coisa para evitar o câncer de mama?
Ter hábitos saudáveis e cuidar da qualidade de vida ajuda muito. Mas, ainda assim, a doença pode aparecer.
7. É verdade que rancor e mágoa podem causar o câncer?
Não há relação sustentada pela ciência. Já sobre a doença em si, estudos demonstram que lidar positivamente com a questão a partir do diagnóstico aumenta a imunidade e isso ajuda no tratamento proposto.
8. Mulher grávida pode ter câncer de mama?
Não é comum, mas pode ocorrer. Seu diagnóstico muitas vezes é dificultado pelas alterações que ocorrem na mama da gestante por causa do aumento de volume. É definido como câncer de mama durante a gestação quando ocorre dentro do período ou até 12 meses após o parto. O tratamento pode se iniciar ainda na gestação, com medicações quimioterápicas que não afetem o bebê, ou mesmo com a cirurgia que pode ser realizada neste mesmo período.
9. Desodorante causa câncer?
O câncer de mama não tem relação com desodorantes, e a Anvisa, que é a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, já emitiu parecer de esclarecimento sobre esse boato que se espalhou na internet.
10. Tem mesmo que ficar careca para tratar o câncer? Porque?
A queda dos cabelos é um efeito colateral da medicação (quimioterapia), quando esta for necessária. Já existem diversas drogas que não levam a alopecia, que é a perda de cabelo. Essas drogas são chamadas de terapias-alvo e não levam a destruição do folículo, que é causa da queda dos cabelos na quimioterapia convencional. A principal droga que leva a alopecia é chamada de antraciclina (doxorrubicina). Mas não vamos ficar tristes, pois isto é temporário, e logo os cabelos voltam a crescem como antes. Não é para sempre!
11. O câncer pode acontecer como consequencial de alguma doença que não foi bem tratada?
Não, porque o câncer nasce de uma célula clonal alterada. Portanto, precisa ocorrer uma série de alterações na célula para ela se tornar maligna.